câncer de mama

Tudo que você precisa saber sobre câncer de mama

Nas últimas décadas, os avanços para o rastreio e tratamento do câncer de mama evoluíram significativamente, aumentando as chances de bons resultados. No Brasil, segundo informações do Instituto Nacional de Câncer, as estimativas apontam que entre 2020 e 2022, 66.280 novos casos de câncer de mama deverão ser diagnósticos.

A seguir, acompanhe algumas considerações importantes sobre essa doença.

Câncer de mama: riscos

Apesar de todas as evoluções, a ciência ainda não conseguiu descobrir com exatidão as causas por trás dessa doença. Entretanto, alguns fatores de risco que podem deixar a pessoa mais vulnerável já foram identificados. Lembrando que alguns deles podem ser prevenidos por meio de cuidados básicos na rotina diária. Acompanhe!

Idade

Uma pessoa com 20 anos, tem apenas 0,06% de chance de ter um câncer de mama no decorrer dos próximos 10 anos. Já para as pessoas de 70 anos, esse percentual sobe para 3,84%.

Genética 

A mulher que carrega mutações específicas nos genes BRCA1 e BRCA2, assim como no TP53 tem mais chances de desenvolver a doença. Aliás, o câncer de ovário também é influenciado por tais mutações. Em alguns casos, as mulheres que herdam essas mutações de seus pais podem desenvolver ambos os tipos de câncer.

Se um parente próximo já teve ou tem a doença, a chance de a mulher ter câncer de mama também aumenta.

Peso corporal

Mulheres que estão acima do peso ou desenvolvem um quadro de obesidade após a menopausa podem ficar mais vulneráveis ao câncer de mama. Além da alta ingestão de açúcar os níveis elevados de estrogênio também podem contribuir.

Terapias hormonais

Alguns estudos demonstraram certa relação entre o uso de anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal, principalmente a terapia de estrogênio-progesterona, com um risco maior da doença se desenvolver.

Tipos de câncer de mama

Existem vários tipos de câncer de mama, entre eles:

·         carcinoma lobular: tem início nos lóbulos;

·         carcinoma ductal: é o tipo mais comum, sendo que começa no duto do leite.

O câncer de mama é considerado invasivo quando as células cancerosas saem dos dutos e lóbulos e invadem o tecido nas regiões próximas. Quando isso acontece existe uma maior probabilidade de a doença se espalhar por outras regiões do corpo.

Já quando ele não é invasivo, ele continua onde surgiu e ainda não se espalhou. Entretanto, nada impede que ele possa evoluir para um quadro de câncer de mama invasivo.

Mudanças para acompanhar

É essencial que a mulher fique a atenta a qualquer alteração nas mamas e, caso note alguma das situações a seguir, consulte o especialista:

·         mamilo que mudou de posição;

·         mamilo invertido, isto é, está empurrado para dentro;

·         mudança no formato dos seios;

·         alterações no tamanho das mamas;

·         caroço próximo ao peito, embaixo do braço ou na própria mama;

·         inchaços;

·         dor, erupção na pele e vermelhidão;

·         secreções aquosas, amarelas, leitosa ou até mesmo com sangue.

O câncer de mama é uma doença séria. Por isso, sempre fique atenta as recomendações de prevenção, aos exames de rotina e, em caso de suspeita ou dúvida, fale com seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como mastologista em Ribeirão Preto!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp